Quanto mais amigos, fans e seguidores, melhor !

As redes sociais influenciam na decisão de compra dos consumidores

Porque acreditamos na economia colaborativa

Compartilhar sim, centralizar não. Este é o conceito presente no coração da economia colaborativa, onde estão empresas e projetos que surgiram a partir de variações do compartilhamento pessoa-para-pessoa (peer-to-peer), o chamado consumo colaborativo.

O modelo de economia compartilhada já foi adotado por diversos setores e movimentou, no mínimo, US$ 100 bilhões de dólares (0,14% do Produto Interno Bruto mundial em 2012)¹. Para pegar carona no caminho que o mercado vêm traçando, nós devemos repensar nossos modelos de negócios e incorporar um ou mais dos três modelos colaborativos: “Prestadoras de Serviços”, “Fomentadoras de Mercado” ou “Provedoras de Plataformas”. Dessa forma vamos evoluir ao lado de nossos clientes. O grande aprendizado para todos nós é que o relacionamento com os clientes mudou, é hora de libertar a empresa para ganhar o mercado.

1. Rachel Botsman, uma das autoras do livro “O que é meu é seu”.